22 de novembro de 2007

Sem Maria

Me convidaste para jantar,
Para que eu fizesse teu prato predileto,
Ascendesse velas,
Abrisse aquele vinho...
Sei que na verdade, o que queres é que eu te deixe me comer
Crua
Mas pra ti, só restará ser eternamente cozido
Em fogo brando
Em banho maria
Me recuso a ascender teu fogo
És sem tempero nenhum!
E banho com a Maria aqui?
Espere...
Sentado!
Eu sentar em ti?
Sem chance.

Republicado para facilitar sua vida...

6 comentários:

Girotto disse...

Coitado desse que não pode coitar, ficará inchado e dorido. Bem feito, foi bulir com a irmã dos outros!

Abraços

Claudio Wganre disse...

Teus texto estão cada vez melhores um dia escreverei desse jeito... Um grande abraço, ah! nunca mais escrevi nada no meu pq minha monografia não dá treguas

Anderson disse...

Pô, a má, criadora da onanistas...

Paloma disse...

Há tempos visito seu blogger e me delicio com suas palavras...
Quando será o próximo texto a ser devorado por mim???
Aguardo ansiosamente.
Beijão

Girotto disse...

Minha querida,
cadê você no msn e as postagens no blogue? Estou com saudades. Tenha muita felicidade. Até logo.

Fernando disse...

Muito bom! Muito bom!

Seus poemas são fáceis de ler. Bons de decorar. E melhores de imaginar. Imaginar por exemplo, como o cara deve ter ficado puto.

Se deu mal!

Beijocas!