2 de abril de 2009

Dando comida na boca

Você me chama de tarado e eu te chamo de gostosa
Não sem antes te comer todinha, de colheradas bem cheias, sem deixar cair nada.
Antes ainda, disseco com a língua tudo que há debaixo de teus pelos
Aí sim, você me chama de tarado...
-Gostosa...

12 comentários:

Fernando Ramos disse...

Vi a mim mesmo nesse continho. :)

Cleyton disse...

Caraleo. Vais evnder a letra pra Ana Carolina ou João do Morro? rsrs

Daniel Cisneiros disse...

Gentemmm, esse sou eu!
^^

minicontosperversos disse...

bela
do pouco que sabemos da vida muito vem das colheradas grandes
do pouco que sabemos de vc, tudo percebemos autêntico
sem falar o preço alto que se paga por ser musa

quem daria a esse contista vagabundo ter carisma pra inspirar linhas como essas...

MARCOS disse...

sou lambido
neste lânguido
sintoma seu.
não me detenha
quero o interior
dos seus poros.


pode?

bjões!!!

Luciano disse...

Ótimo. Preciso e tão ricamente completo.

Anderson disse...

Aha!
Voltou!

Até a parte da colherada, eu só lembrava de geléia de mocotó, aquela de copinho...
Mas aí o lance dos pelos, me lembrou que se tratava de carne.

Que bom que voltou.

Abraço.

Bananão disse...

qual é o marcador?

[ rod ] disse...

Conto curto... de erotismo longo... começa numa lambida e se arrasta a boa madrugada...





Novo dogMa:
boeMia...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Vampira Dea disse...

Sem palavras! Ah não vou colocar uma: Adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Potyra,
Vc é excepcional...
Mais que isso, vc é excepcionalmente gostosa!!!!!

DIZDIZENDO disse...

Na verdade fazia um tempo que eu queria escrever um texto falando em "comer de colher", aí, peguei emprestadas as "colheradas" do minicontos perversos, e não querido, vc não é um contista vagabundo! É o meu predileto!! E Marcos, sem entradas de poros no momento. Anônimo, menos...
=]
Beijos, pessoas.