31 de agosto de 2007

Poeminha Tetriquinho

Chupou uma bala de jasmim
Foi ao cemitério e sonhou com flores de plástico
Acordou na cama fria
Coitada, queria tanto um corpo ao seu lado...

8 comentários:

Angelo disse...

Muito legal!

BRENDA disse...

Pô...que legal...Humor fino e que se vê pelas brechas.
Beijo.

Carlos Müller disse...

Legal, continues está massa. Eu disse que passava passei, gostei e fiquei tb. Veja: http://matematizandoavida.blogspot.com/ Hehehe, vizinhos mesmo! Abração

Anderson disse...

Legal. E sim, eu tenho humor. Bláaaa. :P

Tambor disse...

Seu eu fosse o Chico Buarque diria: "Morri na contramão atrapalhando o público..."
Mas quando o poema é bom, como o seu, o público cresce e aparece. Aparece e diz: "Sente-se para autografar como se ouvisse música..."
E "Deus lhe pague", por escrever algo que faz sentido... que nos faz sentir...

Tambor.

Fernando disse...

Seus testículos são muito, muito bons!

Esta metáfora, de morta sem amor, na solidão, isto é, se minha interpretação não está muito falha, foi do caralho!

minicontosperversos disse...

Lindo. Maravilhoso.

Quero pra mim

iilógico disse...

deitei!