12 de março de 2008

Vento espada

- Sabe o que eu queria ser?
- Hã?
- O vento...
- O vento?
- É. Imagina tu passando na rua, eu ventando assim nas tuas pernas num dia de muito calor. Eu levantando tua saia, assim; soprava forte, bagunçando teu cabelo todo, assim... Soprava na tua nuca, assim; sussurrando indecências nos teus ouvidos, e tu pensando nossa, que t...
- Nossa, que delícia esse ventinho fresco!!!
- Fresco? Ventinho? Qual é ô guria?

13 comentários:

Fernando disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Muito bom, Potyra! Muito bom!

Cara, não canso de admirar teu poder de síntese. Pra contar isso e fazer alguém rir, eu precisaria de duas páginas. Muito bom mesmo!

E sabia que, comédia a parte, no trecho em que descreve como seria o vento passeando na rua, lembrei-me de uma música do Jorge Vercilo, Praia nua. Achei parecido. Massa demais!

Ah, e quanto ao que comentou, realmente não tinha visto por esta perspectiva. Acho que ela também é muito sem-noção.

Beijocas, Potyra!

Pá Mariano disse...

rs...
vento indecente e abusado esse! Esse é dos bons!
bejings

Angelo disse...

Mulé, tenho a maior dificuldade com esse lance de y e w e k. Foi mal!

Mas o blogue continua 10.

Saudades do lado de cá também.

Paloma disse...

Rs....
Ótimo...
Beijão

ricardo di carvalho disse...

apesar de estar sendo obrigado a comentar... esta indecenciazinha é a síntese dos homens mal resolvidos... "viados domundo inteiro uni-vos" - linum livro.
adorei o chiste!!!

Tyler Bazz disse...

muuuuito bom!!!

da sublime arte de se cortar um bom clima...

Fernando disse...

Potyra, passe pela Coluna, pois fiz um post pra blogueiros e postei uma matéria sobre escritoras na qual dentre as mulheres, recomendei a ti.

Ah, e tem também conto novo por lá.

Beijocas!

Fernando disse...

Potyra, quero nem saber se você não tem postado. Minha amada Coluna não pode pagar por isso! Tem conto novo por lá. Hehehe.

Fernando disse...

Olá, Potyra!

Em verdade, tudo que escrveo tem minha essência ou histórias particulares, vide a definição de escrito do Rodnei que deixei no blog.

De qualquer forma, graças a Deus, não tive a terrível experiência do Daniel com a Joana. :)

Jean Rocha disse...

Rárárá!
Muito bom esse diálogo...
O humor aqui do Sul nos prpicia pérolas como esta...

Abraço!

Flavinha disse...

Delícia de vento, esse, hein?

vi você lá no Coluna, do Fernando aí em cima, nesse dito post sobre mulheres que ele recomendou. Muito bacana a sua forma de escrever - e, como o próprio Fernado disse, seu poder de sintetizar as idéias sem cortá-las pela metade. Adorei seu estilo.

parabéns!

Beijo, beijo, beijo.

Daniel Nekatschalow Bonfim disse...

Òtimo.
Adorei o texto!
Te fiz feliz?
Hehehe, vou aderir a campanha no meu blog também, beijos

Anônimo disse...

oh meu bein...

porque não escreves um livro e faz mais gente rir com tanto talento?!?

falo sério. não tô de sarro.
daí tu coloca nos agradecimentos...

à Luana
o/