29 de janeiro de 2008

Por que?

Por que eu só saio daqui quando
você sair de mim umas cem vezes...

6 comentários:

Fernando disse...

Quanta sutileza. Putz...

Mulher, cheguei a conclusão que seus pequenos textos (porque nesse caso dizer seus testículos não ficaria bem) não são ficções. Desculpe, mas puta que pariu!

Não tem como imaginar duas linhas e conseguir descrever um texto inteiro nelas!

Meus parabéns. Não foi à tôa que te linquei. Fiquei até orgulhoso diso. Hehehe.

Beijocas!

Fernando disse...

Olá, Potyra! (É isso, não?)

Obrigado pelos comentários na Coluna. Gosto quando postam nos outros textos, pois, como mudei de blog, os comentários ficaram todos na Coluna antiga.

E sim, sou anos oitenta! Cravado, fazendo vinte e oito dia dez de março. Que bom que gostou daquele texto. Foi um desabafo de época, muitos comentaram no blog antigo.

Aquela do Che Guevara fo ótima! Kkkkkkkk. Mas olha só, eu também perguntaria a mesma coisa, pois só soubre que o nome dele era Ernesto ontem, quando assisti o excelente Diários de um motocicleta.

Acerca do comentário em que disse que mudou pra uma cidade que só tinha homem feio, não entendi. Quer dizer, acho que entendi, mas pra não passar por besta, preferia uma explicação...

Beijocas e passe sempre pela Coluna!

Tyler Bazz disse...

Sabe quando você gosta de algo, mas não sabe o que dizer?!

É..........

Fernando disse...

Olá, Potyra!

Indiquei seu blog lá na Coluna. Caso se interesse, passe por lá pegue o selo.

Beijocas!

Caio disse...

Gostei.
Como estou na adolescência senti um pouco de erotismo.
Percebi um certo culto à sexualidade.

^^


Dê uma olhada no meu blog...

http://pseudocerteza.blogspot.com/

Beijos.

Tambor disse...

E aê!
... buáááá. Férias acabam! Mas há males que vêm pra bem. Agora já posso enviar tambores novamente.

Quanto ao poema: Consistente como sempre e gerador de um deleite hipinótico ao ser degustado(lido).

Um forte abraço!
TAMBOR.